quarta-feira, 15 de abril de 2009

Hang on to yourself


Existem alturas na vida que queremos estar sozinhos, para podermos respirar, suspirar, mas essencialmente para com isso nos sentirmos livres de tudo, de todos, e ate de nos próprios. Com isso por vezes acabamos por magoar quem não queremos. Pessoas que nos são queridas e que zelam por nós. Por vezes sem querer, outras propositadamente, mesmo que não seja essa a nossa verdadeira vontade interior. Acabamos por nos abstrair e sair deste nosso mundo, desta nossa realidade e passamos a viver no mundo da ilusão, fantasia, ou da magia. Magia essa que por vezes pode ser negra. Mas enfim, é a vida e as leis da vida de quem sofre pelas mais variadas razoes, e para quem faz sofrer, talvez um dia consigamos entender o que realmente fizemos de errado. Mas no fim iremos acabar com o mesmo sentimento. Querer estar sós, sermos só nossos, a nossa alma, o nosso corpo. Tentamos muitas vezes ser solipcistas, mas se não tivermos cuidado, podemos acabar na mais profunda solidão. Não porque não temos vida própria, amigos, filhos, maridos, namorado (a), família, mas sim porque acabamos por nos perder dentro de nos mesmos, por nossa própria intuição, ou por motivos mais fortes que vão para além da nossa própria existência física e mental. Ninguém, ou muito pouca gente gosta de estar só muito tempo, de sentir solidão, mas por vezes temos que passar por esses momentos para podermos dar valor a outros, a outras coisas, a outras pessoas na nossa vida, que não dávamos ate então. Podemos até estar rodeados de pessoas, bem no centro de uma multidão, de um milhão de pessoas, que mesmo assim nos sentiremos sós. Temos que ser fortes o suficiente para podermos dar a volta por cima e sairmos desse estado, para uma vez mais podermos dar valor a vida e deixar de querer estar sós incondicionalmente. A amar-mos, e a deixarmo-nos ser amados….

4 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Solipsistas? Não. O Homem foi feito para amar, porque o Homem é um ser relacional. Gostei muito da analise introspectiva.

Grande abraço

Daniel

pinguim disse...

...e então nunca mais voltamos a estar sós!
Abraço.

Candida disse...

Jonito amante do bolo de bolacha e não só...

Sentimos muito a tiua falta desde o dia em que mudaste lá para o Tarrafal...
mas houve sempre quem nos quis anumar... A Carlota joaquina viu-me tristonha e disse: Cândinha ainda resto eu, ainda aqui estou.... é uma querida!

Pois é Jonito sentimos todos falta do nosso grupinho, mas nossas conversas... se é que se podem chamat conversas... das nossas representações com espectadores de 1ª fila!!!! Mas não fiquemos tristes porque, segundo ultimas informações iremos todos ficar juntos brevemente! Apesar dessa esperança, os nossos fins de dia já não são os mesmos, né?
Vamos continuar a comunicar para não apagar a nossa chama da amizade que é tão bonita

Um grande beijo
Cândida White Flower

Carla disse...

Tu tens o dom de me pôr a rir... e a chorar. Acho que o melhor da AMIZADE é isso mesmo. É sabermos rir e chorar "DE" e "COM" quem gostamos. Aprendi muito contigo nestes últimos meses. Obrigada. Gosto DE ti, gosto de rir e chorar CONtigo, John John :)

PS: Cândida, porque é que me fizeste chorar agora, também? ;)