terça-feira, 27 de abril de 2010



Vivo de sensações contraditórias, de revoltas traiçoeiras, de palavras confusas, de sons silenciosos, de dores empencadas. Vivo de não viver, de não continuar, de não fazer, de não e mais não. Toda esta vivência aniquila o meu sorriso e constroi mais um simples e doloroso muro.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Grandes Momentos, de Grandes Amizades


Conversa entre mim(Eu) e asabido(Paula), a recordar....


asabidolx: eheheheh
mim: sabes o k estou a ouvir?
asabidolx: o k tas a ouvir?
mim: os mecano
asabidolx: ah, tas a reviver a nossa ida a ibiza
ehehehe
mim: lol
siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
asabidolx: sabes q a sylvia tem la uma amiga
ta a sempre a dizer para irmos la
eheheheh
mim: adorava la voltar
mas agora nao podemos fazer extravagâncias com o dinheiro
asabidolx: eu tb adorava voltar la
asabidolx: e era fixe aproveitar a estadia da amiga dela
sempre se poupa algum
e a sylvia tb temn amigos em barcelona
era mesmo fixe
mim: entao aproveita amor
pk nao?
assim ias a 2 sitios k gostas
e mostravas a sylvia esses sitios por onde andaste
contava-lhes as experiencias
e o engate na discoteca
hehehehehe
na arena
lembras?
asabidolx: eheheheh
lembrio de tudo dessa viagem
eheheh
mim: tudo??????????
hummmmmmmmmmmm
foi bem gira, confesso
asabidolx: ou kuase tudo
eheheh
mim: 2 semanas fantasticas
asabidolx: muito fantasticas mesmo
ainda me lembro da noite de saida
4 da manha
foi tão fixe
mim: e do carro rebocado
andamos uns saudosistas
ou melhor dizendo
asabidolx: ai, cala-te
mim: uns velhos do caraças
asabidolx: essa cena da multa
mim: lol
asabidolx: ainda bem que temos estas recordações
velhos, mas com boas recordações
eehheheheh
mim: e quando fomos ver a madonna a barcelona
debaixo dakele calor horrivel
asabidolx: e o k nos andámos nakelas ramblas
e o k pagámos por akela sangria
ehehhehehe
mim: e o k pagamos pelo caralho do quarto
lol
asabidolx: lol
doidos
complemtamente doidos
mim: realmente......
nao há palavras
asabidolx: e o k andaste para levanar os bilhetes
mim: acho k irei colocar isso no meu blog
lol
asabidolx: q tiveste q ir 2 vezes
a badajoz
mim: ja nem me lembrava......
asabidolx: ehehehhe
mim: e depois a caceres
asabidolx: pq em badajoz nao havia esse banco, nao era?
q cena
mim: isso mesmo
e ainda levei o pedro e a luisa
asabidolx: pois foi
para irem passear
ehheheheh
mim: grandes momentos....

quinta-feira, 18 de março de 2010

Gosto deste blogue...http://cantinhoamigas.blogspot.com/

Gosto de um blogue que acompanho todos os dias e que é um mar de boa disposição. Gosto do que dizem, da forma como dizem, como se apresentam....em geral de tudo! Conseguem tornar os meus dias de trombodo em dias de sorriso colgate, e mais do que isso, conseguem trazer-me um conforto com as alegrias de todas "elas". Relebram-me de uma amizade de anos que era um autêntico "Sex in the City". Vejam! Para "elas"...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Não...



Perguntas-me se sou feliz
Não sei como te responder
Se a minha felicidade é transmitida a cada sorriso que dou
Então posso te dizer que não sou...não sou mesmo
E não a consigo encontrar!


sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Mariza has power of a peroxide icon

By Jane Cornwell, Evening Standard 26.01.10
 Mariza

Rich sound: Mariza mixes jaunty folk with jazz, flamenco and morna.

Having started out singing fado — Portugal’s mournful blues — in her father’s Lisbon taverna, Mariza is now a Grammy-winning global icon.

Audiences in the world’s most prestigious concert halls have swooned before her majestic voice and lovable charisma; they have given standing ovations to an artist who is all the more impressive for her haute couture gowns and cap of peroxided hair.

The Portuguese-Mozambican diva is still singing it as she feels it: jaunty folk songs such as Rosa Branca are delivered with skirt-swooshing flair. Sad songs with classic themes — despair, destiny, betrayal — still send her doubling over, arm outstretched. Her five musicians still stare at their shoes when she cries.

But while there are still the same dazzling drum solos, the release of her 2008 album Terra has seen bits of jazz, flamenco, folk and Cape Verdean morna enrich her sound. “This is the second time I am here doing songs from Terra,” said Mariza, who is playing again tonight. “I want to say I love you all. Obrigado.” An adoring crowd applauded wildly, threw long-stemmed roses and sent the love right back.

With onstage patter honed to perfection, she told again of sneaking out of bed as a child to watch the fadistas in the taverna, a prelude to the beautiful Tasco da Mouraria.

Then there she was in the auditorium, blasting out a show-stopping version of O Gente Da Minha Terra. “You are the people of my land”, she said. And we were, every one of us.