sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Trago dentro de mim uma solidão que me devora
Pior que qualquer dor!
Uma solidão de nao conseguir erguer-me de manhã e lutar
Uma solidão de nao saber para onde olhar!
Sinto falta de um abraço, um carinho
Sinto falta de colo
De um comprimido que por 24h me faça viver outra vida!
Não quero fugir
Simplesmente hoje e agora
Não sei que caminho seguir
Não sei sorrir!

Mas também quem disse que a vida será um mar de rosas?
A minha pode hoje não me sorrir
Mas amanhã, e com calma, irei aprender
A sorrir de outra maneira.

Sinto a tua falta
Onde queiras que estejas.

2 comentários:

pinguim disse...

Quase que poderia decalcar o belo poema; o final seria contudo bem diferente, pois sei onde ele está e quem é!!!
Abraço.

Carla disse...

O primeiro verso é "todo meu"! Todos os dias e hoje ainda mais. E também "sinto a tua falta, onde quer que estejas"!